Jornalista mostra que setor automotivo também é para mulheres

Jornalista Cecília França se especializou no setor de automotivos (Arquivo Pessoal)

“Estava esperando um homem” ou “Nunca vi uma mulher ter tanta noção de carro”. Essas são algumas das frases sexistas já ouvidas pela jornalista Cecília França, de Londrina, durante o trabalho. Especializada em jornalismo automotivo, segmento marcado pela presença masculina, ela criou há quatro anos o blog Autos Papos, um espaço em que aborda assuntos como lançamentos do setor, mecânica, tecnologia, mobilidade e carros antigos.

Cecília se lançou na área depois de começar a escrever para o caderno de Veículos de um dos jornais onde trabalhou. Venceu o conhecimento restrito que tinha sobre carros a partir de muita dedicação, pesquisas, leitura especializada e entrevistas com gente que domina o assunto. Ampliou tanto a bagagem que decidiu focar sua atuação neste segmento. “Fui percebendo, a partir do retorno dos entrevistados, que carros fazem parte da nossa vida, são extensões da nossa casa, têm, portanto, um impacto tremendo no nosso dia a dia. A partir daí, eu passei a valorizar e enxergar a relevância do setor”, relata.

Ainda assim, a jornalista observa que o preconceito na área existe não só por ser mulher, mas também por ser jovem. “Grande parte da mídia especializada em veículos é composta por jornalistas experientes, mais velhos, que resistem à existência dos blogs, por exemplo. Eles cobrem o setor há 30, 40 anos, quando as publicações eram poucas; hoje, com a expansão, precisam conviver com jornalistas entrantes”, comenta. No quesito gênero, é preciso enfrentar o machismo que se apresenta em duas formas – velado e escancarado.

“Nos eventos de lançamentos das montadoras acontecia muito de ter uma roda de jornalistas homens conversando, eu me aproximar e o assunto – que era carro – mudar para amenidades, como se eu não tivesse condições de participar daquela conversa”, recorda Cecília.

No blog Autos Papos, Cecília traz assuntos como carros antigos e customizados (Arquivo Pessoal)

Ela, no entanto, não se deixa abater diante deste cenário. Pelo contrário, tem colocado ainda mais energia no projeto que a realiza profissionalmente. Como jornalista, Cecília adora poder pautar suas próprias reportagens e oferecer um material útil a seus leitores, como “furos” sobre pedágios e a concessão de rodovias federais no Paraná.

“Quando eu comecei, em 2013, existiam bem poucas mulheres com projetos próprios na área participando dos eventos das montadoras. Arrisco dizer que não somos 15% da mídia especializada no tema, mas aumentando”, avalia.

Recentemente, Cecília recebeu o convite para ser colunista no site de um colega do Rio Grande do Sul, o Autos Giros, como reconhecimento da qualidade do trabalho dela.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*