Voluntárias arrecadam livros para ajudar animais resgatados

Doações livos
Doações recebidas por projetos são vendidas para ajudar ONGs (Foto: Divulgação)

Mulheres de Curitiba estão fazendo da paixão pela leitura uma forma de ajudar animais resgatados. Elas criaram páginas no Instagram para divulgar livros usados e repassar integralmente a ONGs do município e região metropolitana os recursos arrecadados com a venda dessas obras.

Tocado por quatro amigas, o perfil Livros e Latidos teve início durante a pandemia, vendendo livros das próprias voluntárias. Aos poucos, elas começaram a receber doações de apoiadores da causa animal e a iniciativa foi crescendo. Hoje, a advogada Bruna Lacorte, 37 anos, a biomédica Roberta Hermes Porto, 36, a designer Susana Dias, 39, e a estudante Maria Carolina Lourenço Lindner, 21, se dividem entre coleta, atendimento na rede social, seleção para postagens no feed e envios. De julho de 2020 até o início deste ano, já foram doados mais de 5 mil livros para o projeto. Elas calculam que cerca de 1,3 mil volumes já tenham sido vendidos, gerando mais de R$ 10 mil para 11 ONGs, como a Amigo Animal, Tomba-latas e Becos da Esperança.

“Cada mês escolhemos uma ou duas ongs para ajudar. Elas nos procuram no direct ou são indicadas pelos clientes. Aí entramos em contato para conhecer o projeto e o colocamos na fila”, explica Bruna, ao salientar que o perfil aceita desde doações de livros em bom estado a produtos para animais de rua, como caminhas, rações, cobertores e até tampinhas plásticas. “Repassamos para ONGs que vem as tampinhas e castram animais. Enfim, tentamos ajudar de todas as formas possíveis”, completa.

Vontade de fazer mais

A professora Fernanda Breda, 28, também criou uma iniciativa semelhante, por meio do perfil Aujude Livros. Ela já havia adotado animais, mas sentia necessidade de fazer mais. “Acabou surgindo a ideia da minha paixão, que é a leitura. Sou professora e o incentivo à leitura sempre esteve nos meus objetivos. Resolvi unir as duas coisas e surgiu o projeto”, conta.

Leia também: Ciclista faz da mobilidade urbana causa para vida

De julho do ano passado até janeiro de 2021, já foram recebidas mais de 1,5 mil doações. Todo o valor também é 100% repassado para ONGs. Neste mês, por exemplo, já foram arrecadados R$ 870. “O foco é a Animais sem Teto, mas todo mês temos pedidos de seguidores para alguma outra Ong e acabamos sempre ajudando”, observa Fernanda. Segundo ela, as obras com mais saída são as de literatura, psicologia e filosofia. O projeto faz envios para todo o Brasil.

Interessados em colaborar com os projetos podem entrar em contato com as voluntárias por meio do perfil das iniciativas – @aujudelivros e @livroselatidos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*