Peça de teatro aborda TDI, transtorno raro que atinge principalmente mulheres

História da produção teatral é baseada em fatos reais que deram origem a livro (Foto: Divulgação)

Você já ouviu falar em Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI)? Trata-se de um transtorno mental raro, em que o ego do indivíduo se fragmenta em diferentes personalidades. O problema atinge principalmente mulheres – alvo mais frequente de julgamentos e preconceito – e é tema de uma peça de teatro que estreou no início de setembro, em São Paulo. “Helena – seis personalidades de uma mulher” tem produção de Naiara Costa e direção de Vir Amaral. O elenco traz ao palco as atrizes Miriam Dumas, Mariana Sancar, Monique Almeida e Renata Figueira. Também participam da peça Rogério Favoretto  e Guilherme Barros.

A história é baseada no livro “A Mulher Lagarto e Outras Histórias”, do psicólogo Fernando Cipriano. Ele atendeu com a equipe uma paciente real de TDI enquanto coordenava um plantão psicológico.

Considerado um transtorno de estresse pós-traumático, o TDI, em 95% dos casos, acomete vítimas de maus tratos ou violência sexual na infância. Por consequência do trauma, a pessoa cria diversas personalidades na tentativa de negar, esquecer ou elaborar o ocorrido.

Leia também: Meninas são as principais vítimas de violência infantil

A produção teatral busca mostrar como cada um dos alter egos apresenta características da personalidade construída. É o caso da “Helena-criança” que possui voz de criança, gestos de criança, postura corporal de criança, pensamento de criança, afetividade de criança, interesses de criança. A “Helena-louca”, por sua vez, pode ter convulsões ou ameaçar se atirar pela janela.

Com classificação indicativa para 16 anos, o trabalho faz parte dos projetos do Instituto Fernando Cipriano e segue em cartaz até o final do mês no Teatro UMC. Para mais informações, acesse www.helenas.start.art.br.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*