Plano de Menina estreia minidocumentário em Curitiba

Curitiba terá estreia neste sábado (15) do minidocumentário #MeDáUmaLicença. Trata-se de uma iniciativa do projeto social Plano de Menina, que conecta garotas de comunidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná com mulheres de diferentes áreas do conhecimento, por meio de workshops presenciais. As atividades têm cinco eixos de atuação: educação financeira e carreira, autoestima, direito, raça e gênero, e tecnologia. Os workshops acontecem semanalmente e proporcionam trocas e uma rede de influência que constrói pontes.

O curta trará a vivência de meninas que participam do projeto e estão ressignificando padrões, medos e quebrando obstáculos invisíveis da sociedade para ocupar seus espaços e realizarem seus planos. “A existência de filmes como esse é essencial para despertar o sentimento de mudança e gerar uma convocação positiva na sociedade. A entrada e a permanência de uma menina periférica no mercado de trabalho são processos desafiadores. Nesse percurso é preciso quebrar obstáculos sociais para manter-se integralmente nestes espaços, que por vezes são reducionistas e opressores.”, afirma Mariana Chaves, redatora e produtora do curta.

Leia também: Contrate uma mãe: site ajuda na recolocação profissional de mulheres

Gratuita, a exibição ocorrerá na Universidade Federal do Paraná, no Prédio Histórico da Santos Andrade, às 11h. Mais informações podem ser obtidas na página do evento.

A ação tem como parceiros em Curitiba o Instituto Aurora, Política de.por.para Mulheres, Maria Muda Mundo e Youngers – Consultoria em Juventude.

O projeto

O Plano de Menina tem a meta de estar presente em 10 estados até o final de 2019. Para isso, se tornou Instituto e desenvolveu uma metodologia de treinamento de mentoras voluntárias e dinâmicas de workshops para meninas com cursos de capacitação pessoal sobre carreira, empreendedorismo, tecnologia, entre outros.

Atualmente, o projeto atende mais de 600 meninas e espera atender 2 mil garotas até 2019 no projeto físico, além das milhares que serão impactadas pela plataforma digital.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*